Minha lista de blogs

  • O DONO DE TEU CORPO - Sou obediente ao Meu Senhor, e sou muito feliz por esta oportunidade... Tenho fome de teu desejo, sede de tuas ordens, tenho prazer na tua satisfação. ...
    Há 4 anos

A dominação

"A dominação plena não é feita pelo poder do chicote (essa é momentânea)...E,sim,pela entrega do coração e da mente (essa é eterna)..."

Páginas

Master Price - BDSM

Minha foto
GOIÂNIA, GOIÁS, Brazil
Da confiança Um Mestre deve confiar em você tanto quanto você nele. Confiança é um ingrediente fundamental na prática SM, e esta é irmã da sinceridade. Jamais minta para seu Dominador. Seja sempre verdadeiro quando falar, agir ou sentir. Estas serão armas poderosas que seu Mestre terá para lhe dar prazer, e ao que tudo indica, telepatia ainda não é a forma mais eficiente de comunicação da atualidade. Seja sempre objetivo, e não tema em colocar os pontos mais delicados que possam surgir. Se ele for um verdadeiro Mestre saberá separar as críticas das atitudes desrespeitosas de sua parte, e ambos ganharão. Um verdadeiro Senhor não sente necessidade de ser temido. Seu Senhor tem todo o direito de lhe omitir informações que julgue desnecessárias, mas não aceite que minta. Converse a respeito se estiver em dúvida. De tua mente e de tua dedicação,para que meu chicote seja meu verso e minhas cordas tua prisão. De teu desejo e de tua intimidade, para que teu prazer seja meu prazer e minha dominação tua felicidade.

Pesquisar este blog

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

PLAY DOGWOMAM

PLAY DOGWOMAM
E foi bom! Mas sendo assim... Sempre, sem exceções: as coisas acontecem na hora certa, fato consumado. Outras mais incertas... Apesar de aparentes incertezas do que seja certo ou errado, o relativo se mostra: aconteceu? É porque tinha que ser. Desde que seja a hora qual for, sempre será a certa, caso não fosse, não teria acontecido. Surreal? Abstrato? Literais ou não? Então... Vamos aos fatos:

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Uma mulher só se submete quando confia que será conduzida ao prazer.Uma mulher só se concede totalmente quando encontra quem a saiba dominar e controlar.

sábado, 11 de setembro de 2010

THE POWER OF
Tenho poder de prender as asas delicadas de uma borboleta
De tal forma que a impediria de voar
Para que pudesse admirar sua beleza
Sem nunca machuca-la
Mas o verdadeiro poder seria prende-la em meu coração
De forma que possa voar o mais distante e por quantas flores queira
Mas sempre voltar para mim, cada vez mais forte e linda
Tenho poder de reter as águas dos rios
De tal forma que nunca mais alcancem e se percam na imensidão do mar
Para que a pureza cristalina de sua nascente me sirva eternamente
Mas o verdadeiro poder seria aumentar seus caminhos e sua força
De forma que possa deixar o mar mais lindo nos dias ensolarados
E que eu possa sempre ter o prazer na magia da chuva e o encanto do arco-íris.
Tenho o poder de aprisionar os raios do Sol
De tal forma que seja apenas meu o seu calor
Para que sua luz abranja apenas meu corpo
Mas o verdadeiro poder seria faze-lo brilhar ainda mais
De forma que possa iluminar por mais tempo o mundo
E estar sempre presente, me sorrindo onde quer que eu vá
Tenho o poder de aprisionar você
De tal forma que não seja de mais ninguém, apenas minha
Para que eu possa te-la somente para meu prazer ..sempre e sempre
Mas o verdadeiro poder que quero ter sobre você é aprisionar
Tua alma, teus desejos, teu coração,
Dessa forma, seu corpo e sua mente podem ir a qualquer lugar
Pelo tempo que for
E estarás sempre comigo.
Comungo teu corpo nesta missa do prazer onde o vinho é o suor e a hóstia a própria carne...
A carne pede e a carne grita e a carne estraçalha...
Um desejo constante se apossa e se apodera de nós numa alucinação mais poderosa que a nossa alma... Um olhar... Um gesto... Uma carícia...
Aceito-te Eu te aceito, eu te dou esta permissão, eu te dou o direito de me invadires o coração! eu te permito esta sedução, eu te deixo tomar posse de minh'alma, possui meu corpo...ata e flagela-me Eu me entrego, eu me permito esta invasão e me deixo levar pela emoção: viver este sentimento forte e indizível que se chama Submissão!

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

O que procuras?
Sim, me diz o que procuras
Andando por esta sombra
Pouco sabendo o que te espera
O que está acolhido por esta sombra úmida
Vieste ser reduzida a um fiapo
Apenas para o meu deleite?
Viestes ser preza,
Enfiando a mão trêmula por entre a mandíbula do crocodilo?
Esperas ser vergada, ultrajada,
Desumanizada,
Perder-se de si, para encontrar-se
Insólita, despojada do que te veste?
Lívida, sugada, estropiada
Um farrapo rastejante
Enquanto imploras por amor?
Não sabes ser amada, quem sabe,
Pois amor é luz, e só tenho sombras
Não... não é amor que buscas
Pois o teria com quem quer que fosse
E se mostrasses o íntimo,
Deixando-te envolver
Serias amada com toques de brisa,
E sorrisos, e gestos.
Mas mesmo assim, andas na sombra.
É isso mesmo que queres menina?
Ou buscas aquele que te pegará pela mão
E fará tudo aquilo que esperas
E não mais do que um arremedo de sombra à luz de um abajur cor-de-rosa.
Eu sinto teu cheiro...
Sim, eu te farejo.
Não receias andar no escuro
Mas receias o que pode encontrar.
Vieste procurando a armadura reluzente
O beijo apaixonado
O final feliz
O cheiro de rosas e o último cigarro da noite em êxtase flamejante
Mas não podes possuir sendo posse, sabias?
Parece que não.
Olha bem dentro do meu olho
E procura piedade.
Sim... o teu limite é minha tortura.
E não sou vítima, sou algoz
O teu limite, é tua tortura
Se buscas cegar-te na sombra.
O amor que buscas não recomendo que procure em mim
Me amarás pela minha mente
Por temer meu coração
Este, é sombra.
É confusão, é veneno é maldade,
É crueldade,
Pau, pedra, fim do caminho,
E sobretudo, um amor sozinho.
Vai, menina, dá meia volta
Busca a tua luz, senta-te à varanda, não vás ao porão
O mofo, o limo, os ratos
Não são teu mundo,
Não são TUA sombra
Não são tua pessoa
Não há pessoa
Não percebas e sobretudo não pensa,
Não há o que pensar.
Há apenas o que desistir
Estás disposta a desistir?
A ceder do teu deslumbramento
Por uma gota de láudano a fever-te o sangue
E derramarte todas as gotas de si
Em um frasco negro, vermelho, branco.
Sim, dá meia volta.
Ou um passo adiante.
Pois daqui não há volta.
Só há liberdade
E sombras
E inexistência.
E o amor que jamais pensou que houvesse
Em faces desfiguradas
Em espelhos partidos
Em grunhidos
Entre dejetos, objetos
Cobras e lagartos.
Aqui não é teu lugar,
Porque "teu" é de alguém
E aqui, não és ninguem.
Apenas és, e hás de te contentar com esta esmola da existência.
Aqui, na sombra.
Entra quem quer,
Sai quem precisa.
Sorris ainda?
Perdeste o juízo.
Agora pega na minha mão.
Teu anfitrião
Sou eu.
Nunca teu.
És minha.
E não mais tua.

sábado, 4 de setembro de 2010

SPANK TO LOVE

Amar é spank

spank é amar

Nós somos dois de uma espécie Nós somo mão e luva Eu sei que você foi mal Eu vejo o que você precisa A palmada virá Nosso amor que vai alimentar

Você é minha menina Para ser tomado na mão Por alguém que se preocupa Quem terá seu lábio "Porque você menina Eu já lhe disse antes Se você não obedecer

Sua bunda será ferida

Eu sei que é meu jeito Isso faz você obedecer I Never Back Down Eu devo bater em você, hoje Então, sobe no meu colo Você é levada novamente Quando eu começar a utilizar a escova Vou ouvi-la chorar depois

Mas eu não posso parar Até as lições foram aprendidas Através de calor para o banco E um fundo que queimou Ela chuta e ela chora E implora e ela implora Mas eu devo bater em sua Para tais ações impertinentes

Sua saia é puxado para cima E são as calcinhas E escova de madeira De Ébano marrom Ela chora que dói Ela jura que ser bom Mas eu não vou parar Até o momento que eu deveria De carne, que era branco Para uma cor de rosa Para um vermelho que se assemelha Uma bebida de cereja suave

Seu fundo tão quente E suas lágrimas, oh, tão real Tenho certeza que boa surra Para ela irá revelar Que eu amo de espancar sua Mas, acima, a maioria de todos os É o amor que eu sinto por ela Isso me faz andar de cabeça erguida Porque eu sei que estou fazendo Isto para seu próprio bem E eu vou fazê-lo amanhã Se eu sei que eu deveria Assim, permanecer no reto e estreito E levar isso para o banco Se você se desviarem do caminho menina Suas nádegas nuas vou espancar:)